segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Industria Automobilistica e o estudo das Colilsões

Os automoveis no mundo em que vivemos, são cada vez mais comuns na vida de toda a população mundial, ainda porque com todas as facilidades que encontramos hoje para podermos adquirir um carro que bancos e até as proprias concessionária financiam a compra para vários meses ou anos e sem contar os grandes feirões que acontecem periodicamente que se dão grandes descontos para facilitar a saída do produto. 


indústria automobilística, é a indústria envolvida com o projeto, desenvolvimento, fabricação, publicidade e a venda de veículos automóveis. Em 2006, mais de 69 milhões de veículos, incluindo automóveis e veículos comerciais, foram produzidos no mundo. Em 2006, mais de 16 milhões de automóveis foram vendidos nos Estados Unidos, mais de 15 milhões na Europa Ocidental , cerca de 7 milhões na China. Em 2007 vem sendo observada uma estagnação nos mercados da América do Norte, da Europa e do Japão, enquanto ocorre um crescimento nos mercados da América do Sul, especialmente do Brasil, e da Ásia, na Coréia do Sul e na Índia.


A indústria automóvel produz automóveis para auxiliar no deslocamento e/ou transporte da população, de bens ou serviços. Atualmente os automóveis estão entre os bens de maior necessidade, expandindo sua relevância a diversos campos da natureza humana. O automóvel, hoje, representa para muitos um símbolo. Em teoria, as pessoas optam por veículos por necessidade. Porém, a industria automóvel já percebeu que os veículos poderiam ter maior ou menor procura em função de sua aparência. Um automóvel pode transmitir uma "ideia" de como o seu dono é, ou de como ele gostaria de ser.

Patio da Fiat
E no Brasil ?



A indústria automobilística brasileira começou anonimamente nas pequenas oficinas, nas garagens, nos galpões de fundo de quintal. Quem poderá, em sã consciência, dizer quem, quando e como foi montado o primeiro carro brasileiro, no Brasil?
Deve ter havido dezenas, centenas de casos que se perderam no anonimato das iniciativas privadas e no pioneirismo dos montadores improvisados.
Sem poder citar todos os nomes, declinamos como homenagem a todos, dois fatos, duas histórias.
Por volta de 1925 a 1928 (a tradição oral não precisa a data), uma conhecida fábrica em São Cristóvão, construiu um carro nacional. Fizeram tudo: chassis, carroceria, caixa de mudanças, etc. Só o motor não era nacional.
Enfim, são muitas histórias ao redor do começo da era automobilística no Brasil,  mas se sabe que a General Motors (GM) dos EUA e a Ford da Italia foram pioneiras em querer desenvolver projetos no Brasil, tanto que hoje são as que mais vendem a população brasileira e muita gente chegar a pensar que elas (GM E FORD) são marcas nacionais.

Você sabe alguma marca de carros brasileira ? 
Nas verdade, até que existem a TROLLER, que já foi comprada pela Ford e a LOBINI, porém a mecanica usada em seus carros é ''emprestada'' da Volkswagen e da própria Ford assim não existindo uma marca brasileirinha como foi a GURGEL !

Carro da Lobini

Carro da extinta Gurgel

Carro da Troller (Vendida para a Ford) 


O Estudo das Colisões 

Ao possuirmos um carro estamos correndo perigo cada vez que andamos com ele, isso porque
acidentes infelizmente fazem parte da vida de quem possui este bem , e é a partir daí que vem o estudo das colisões



Em uma partida de bilhar, é muito provável que os jogadores não tenham idéia de que eles estão diante de um excelente laboratório de colisões. Durante a partida, as bolas colidem, trocam energia e alteram o sentido dos seus movimentos obedecendo a leis físicas que os jogadores talvez até já tenham estudado na sua vida escolar, mas nem se lembram delas.
Essas leis são de caráter geral e não se restringem ao jogo de bilhar: elas são válidas para qualquer tipo de colisão, como por exemplo, uma batida entre carros.



Quando dois corpos colidem como, por exemplo, no choque entre duas bolas de bilhar, pode acontecer que a direção do movimento dos corpos não seja alterada pelo choque, isto é, eles se movimentam sobre uma mesma reta antes e depois da colisão. Quando isso acontece, dizemos que ocorreu uma colisão unidimensional.
Entretanto, pode ocorrer que os corpos se movimentem em direções diferentes, antes ou depois da colisão. Nesse caso, a colisão é denominada de colisão bidimensional.




Na figura acima, podemos ver as esferas colidindo unidimensionalmente e bidimensionalmente.



Veja e entenda mais neste vídeo !
Fontes : Fonte1Fonte2Fonte3

Um comentário:

Professor Quiriate disse...

Muito bom, fizeram um apanhado legal por aqui!!!